Idealizador Oluwo Ifagbaiyin

“Devemos estar abertos ao diálogo, as mudanças e as transformações que estão acontecendo na natureza a todo momento, porque não aconteceria na nossa religião?”

Ifagbaiyin Agboola

Biografia

O Oluwo Ifágbaíyin Awolola Agboola  nasceu no dia 3 de Outubro de 1956.

1960 - No dia 28 de outubro é iniciado na religião dos Òrìsà juntamente com seu pai.

1962 - Começa a sua participação na religião de Òrìsà com seus pais.

1969 - Foi submetido a uma série de iniciações em Òrìsà, dentro dos princípios dos rituais afro-brasileiros.

1974 – Integra as Forças Especiais do Exército Brasileiro.

1981 - Participa da criação da Federação de cultos afro brasileiro no estado do Rio Grande do Sul.

1982 - Inicia seus estudos sobre o idioma Yorubá.

No início da década de oitenta foi convidado pelo presidente da Afrobras (Federação das Religiões Afro-Brasileiras) a fazer parte desta Federação, como assessor de imprensa.

1983 - É filiado ao PDT gaúcho atendendo …

[21:19, 15/12/2020] Gilmar Oliveira: Biografia

O Oluwo Ifágbaíyin Awolola Agboola  nasceu no dia 3 de Outubro de 1956.

1960 - No dia 28 de outubro é iniciado na religião dos Òrìsà juntamente com seu pai.

1962 - Começa a sua participação na religião de Òrìsà com seus pais.

1969 - Foi submetido a uma série de iniciações em Òrìsà, dentro dos princípios dos rituais afro-brasileiros.

1974 – Integra as Forças Especiais do Exército Brasileiro.

1981 - Participa da criação da Federação de cultos afro brasileiro no estado do Rio Grande do Sul.

1982 - Inicia seus estudos sobre o idioma Yorubá.

No início da década de oitenta foi convidado pelo presidente da Afrobras (Federação das Religiões Afro-Brasileiras) a fazer parte desta Federação, como assessor de imprensa.

1983 - É filiado ao PDT gaúcho atendendo o convite do governador Leonel de Moura Brizola.

1983 - Fundou o Centro Africano 13 de Junho em Porto Alegre.

1983 - Participa do curso de formação de polícia na academia de polícia da cidade de Porto Alegre.

1984 - Inicia um trabalho voltado à iniciação de crianças no culto de Òrìsà. Seguindo o exemplo de seu então sacerdote, Romário de Òṣàlá, começa fazer iniciações de crianças gratuitamente

1985 - Altera o nome da instituição para Centro Cultural Onísègun e é convidado pelo Deputado Moab Caldas para auxiliar nas articulações religiosas em seu estado.

1986 - Começa a divulgação do culto ao Òrìsà na Argentina.

1987 - Começa a divulgação do culto ao Òrìsà no Uruguai, Colômbia, Venezuela e Chile.

1989 - Muda para a cidade de Viamão e constrói a primeira sede do centro cultual.

1990 - Inicia um trabalho na Faculdade Católica como professor assistente do Curso de Teologia.

1991 - É escolhido como palestrante na Associação de imprensa no Estado do Rio Grande do Sul com o tema a Influencia Yoruba na Cultura Gaúcha.

1991 - É iniciado nos Segredos do Culto a Egúngún.

1992 - É escolhido o sacerdote do ano no estado no Paraná, no qual foi homenageado por suas iniciativas no combate ao racismo.

No começo dos anos noventa, com a morte de seu Bàbálórìsà (Romário de Oxalá), Ifagbaiyin inicia uma trajetória diferente, no Estado do Paraná, buscando apoio político para suas ideias.

1992 - É convidado a fazer parte do INABRA (Instituto Nacional do Negro), e começa um trabalho, viajando a Brasília, sendo recebido pelo Presidente da Fundação Palmares, (Adão Ventura).

1992 - Ifagbaiyin conhece a Ìyálórìsà Edelzuita de Òṣàlá (Gantois), que já fazia um belo trabalho divulgando nossa religião, e foi, por ela, convidado a fazer parte do INAEOSSTECAB (Instituto Nacional e Sacerdotal da Tradição e Cultura Afro-Brasileira) fundado em 22 de outubro de 1989, como Coordenador no Estado do Paraná.

1992 - Em 13 de fevereiro passa a fazer parte da família do Gantois, pelas mãos da Ìyálórìsà Idelzuita de Òṣàlá.

1992 - Assume a coordenação do projeto INAEOSSTECAB, (Instituto Nacional e Sacerdotal da Tradição e Cultura Afro-Brasileira).

1992 - Tendo como exemplo o trabalho da Ìyálórìsà Idelzuita, começa um trabalho em nível nacional. 1992 - É iniciado em Ifá pelo Bàbáláwo Rafael Zamora Dias no Estado do Rio de Janeiro.

1992 - É submetido a iniciações em sociedades secretas da Cultura de Ifá e Òrìsà.

1993 - Em companhia do diretor da Fundação Palmares, Walter Gualberto, reúne- se com lideranças de vários seguimentos em Brasília numa tentativa de criar o Sindicato dos Sacerdotes Afro-Brasileiros.

1993 - Ainda no começo da década de noventa, foi recebido pelo Ministro Jerônimo Moscardo (Da Cultura) e pelo Ministro Mauricio Correa (Da Justiça), quando em visita a Brasília, numa tentativa de criar o primeiro Sindicato de Sacerdotes Afro-Brasileiro.

1993 - É escolhido o sacerdote do ano no estado no Paraná, no qual foi homenageado por suas iniciativas na divulgação da religião Tradicional Yoruba.

1993 - Participa da criação do OSPRA, (Órgão Superior para Religião Afro brasileiras no Estado do Rio de Janeiro).

1994 - É escolhido o sacerdote do ano no estado no Paraná, no qual foi homenageado por suas iniciativas divulgando a reconstrução do elo religioso entre o Candomblé e a religião tradicional Yoruba.

1995 - Faz parte de um encontro na capital Paulista com lideranças políticas e religiosas no Centro Cultural Atin Lemba Furena, preparando o apoio à criação do Órgão superior da Religião de Òrìsà no Brasil.

1995 - É escolhido o sacerdote do ano no estado no Paraná, no qual foi homenageado por suas iniciativas com o intercâmbio cultural entre o Brasil e a Nigéria.

1996 - Participa no Estado Rio de Janeiro com membros do Governo da Nigéria da assinatura de um acordo de intenções de intercambio de Professores da língua Yoruba.

1997 - Começa seus estudos sobre Ifá segundo a Religião Tradicional Yorubá com o Àwó Ifá Adeleke Ajiyobiojo. Após conhecer a Religião Tradicional Yorubá, ele se depara com uma realidade que desconhecia: o custo de uma iniciação, nesse período, era muito alto, o que, muitas vezes, inviabilizava os rituais. Com dois filhos pequenos, Ifagbaiyin foi obrigado a adiar, por alguns anos, os rituais de iniciação necessários para sua formação em razão dos altos custos para uma viagem à Nigéria. -Esse fato, bem mais tarde, o motivou a criar o seu projeto Ifá é para todos.

Mesmo assim, Ifagbaiyin manteve seu objetivo, sonhando com o dia que tornaria o culto ao Òrìsà diferente, o que facilitaria a divulgação de nossa religião e, assim sendo, baixando os custos das iniciações.

2000 - Muda o Centro Cultural Onísègun para Santa Catarina.

2001- Faz as primeiras apresentações de seus quadros em óleo sobre tela com um trabalho figurativo sobre os Òrìsàs.

2003 – É escolhido como representante da Região Sul nos debates para a criação do feriado Dia Nacional da Consciência Negra em Brasília, o qual foi instituído, em âmbito nacional, mediante a lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011, sendo considerado feriado em cerca de mil cidades em todo o país e nos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rio de Janeiro através de decretos estaduais.

2004- Tem seus primeiros trabalhos sobre a cultura de Òrìsà divulgados na Imprensa Nacional.

2005- Amplia o trabalho de divulgação da religião de Òrìsà no Esta do de Santa Catarina.

2006- Começa uma série de trabalhos comunitários envolvendo a comunidade Catarinense na relação com as casas de Òrìsà.

2007 - É convidado para participar na secretaria de segurança do Estado de Santa Catarina como membro do conselho de segurança.

2008 - É eleito Presidente do Conselho de Segurança no Estado de Santa Catarina, criando várias ações direcionadas a beneficiar a infância e a juventude naquele Estado.

2008 - Concluiu seus Estudos na Academia de Inteligência Jurídica do Distrito Federal.

2008 - É filiado ao PDT Catarinense atendendo o convite do Ministro do Trabalho Carlos Lupi.

2008 - É iniciado em Sociedades Secretas dentro da Religião Tradicional Yoruba.

2009 - Foi escolhido como palestrante na Escola de polícia do Estado de Santa Catarina.

2010 - Ifagbaiyin cria a Comunidade IFÁ, na antiga rede social Orkut, e se torna o Sacerdote de Òrìsà com o maior número de contatos na história do Orkut, criando informativos sobre Ifá e Òrìsà.

2011 - É consagrado Bàbáláwo pelo Oluwo Oyeniyi Awolola Agboola em São Paulo.

2011 - Viaja para a Nigéria para concluir suas iniciações.

2011 - Participa do festival de Orunmila na cidade de Lagos, Nigéria.

2011 - Participa do Festival de Osun na cidade de Osogbo, Nigéria.

2011 - De volta ao Brasil começou a divulgar o trabalho do falecido Àràbà da cidade de Lagos (Àkànó Fasina Agboola).

2011 - Muda o nome do centro cultural Onísègun para Ile Ifá Ogbè Bara.

2012 - Dá início a um trabalho de intercambio, com membros da família Agboola na Nigéria e começa a trazer os  sacerdotes de sua família para o Brasil.

2012- Em 14 de fevereiro, enquanto viajava com sua Iya apetebi (Ìyánífá Ifakemi Fasina Agboola) de São Paulo para Porto Alegre, têm a ideia de criar o projeto IFÁ É PARA TODOS, dando continuidade a um trabalho de atendimento gratuito a crianças, algo que já fazia parte do Centro Cultural Onísègun.

2012- Em incentivo ao intercambio religioso trás, ao Rio Grande do Sul o Bàbáláwo Ifaleke Fasina Agboola.

2013 - Em incentivo ao intercambio religioso trás, ao Brasil o Àràbà Awodiran Agboola e inicia uma nova fase do projeto, fazendo divulgação da Religião Tradicional Yorubá na imprensa Brasileira.

2014 – Trás, o Àràbà Awodiran Agboola ao Brasil, pela segunda vez, e assume um compromisso de divulgar o trabalho literário da família.

2014 - Recebe Oye de Apena Ogboni, na cidade de São Paulo, do Bàbáláwo Oyeyefa Kolawole Agboola, por orientação do Àràbà Awodiran Agboola e de seu Oluwo Oyeniyi Awolola Agboola.

2014 - Recebe o Oye de Alaagba no culto de Egúngún na cidade de São Paulo do Bàbáláwo Fatokun Alamu Agboola, por orientação do Àràbà Awodiran Agboola e de seu Oluwo Oyeniyi Awolola Agboola.

2015 - Transfere a sede do Ile Ifá Agboola para a Bahia.

2015- Inicia uma série de viagens pelo país para divulgar o Projeto Ifá é para todos.

2016- Em incentivo ao intercambio religioso na capital Paulista conta com a presença do Àràbà Awodiran Agboola em iniciações.

2016 - Viaja para o Uruguai para divulgar o projeto Ifá para todos.

2016 - Em 25 de maio amplia o projeto Ifá é para todos, levando o projeto para outros países.

2016 - Recebe o apoio do conselho internacional de Ifá ao projeto Ifá é para todos.

2016 - Recebe o apoio dos Arabas das famílias mais conhecidas do território yoruba ao projeto.

2016 - Amplia o projeto Ifá é para todos para todo o território nacional.

2016- Atinge o número de duas mil iniciações com o Projeto Ifá é para Todos.

2016- Inicia o projeto Ifá é para todos em cinco países.

2016 - Lança o dia internacional da criança no Ifá (20 de agosto), com o apoio dos Àràbàs das mais conhecidas famílias do Ifá do território Yoruba.

2016 - Em incentivo ao intercambio religioso trás, a Bahia o Oluwo Oyeniyi Awolola Agboola.

2016 - Em incentivo ao intercambio religioso trás, a Bahia o Àràbà Awodiran Agboola.

2017- Cria o projeto Ifá nacional, (PAIN).

2017- Viaja para a Argentina para divulgar o projeto Ifá é para todos.

2017- Cria o Movimento de apoio aos Bàbáláwos e Bàbálóòrìşas brasileiros MABBB.

2017- Realiza O primeiro Encontro Nacional de Umbanda, Ifá e Candomblé na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

2017- Participa da criação do Conselho Brasileiro de Ifá.

2017 - Em incentivo ao intercambio religioso trás, a Bahia o Oluwo Oyeniyi Awolola Agboola.

2017- Assume a presidência do Conselho Brasileiro de Ifá

2018- Cria a Escola Superior de Ifá

2019- É reeleito presidente do Conselho Brasileiro de Ifá.

2019 - Em incentivo ao intercambio religioso trás, a Bahia o Oluwo Oyeniyi Awolola Agboola.

2019 - Realiza pelo quinto ano seguido em território brasileiro a comemoração do Isese Day com ampla divulgação.

2019 - Em incentivo ao intercambio religioso trás, a Bahia a Princesa da família real de Osogbo a Iyalorisa  Oladunni Osunbunmi Keshinro.

2020 - Teologia na Faculdade Estácio de Sá.

2020 - Cria o Canal do  Telegram do Oluwo Ifagbaiyin (o maior arquivo de áudios sobre Òrìṣà da América Latina com mais de 3000 arquivos.